sexta-feira, 16 de março de 2012

Espetáculo "Vivências"

(AROUCA) - Acontece no próximo dia 25 de março de 2012, um espetáculo intitulado "Vivências", organizado pela Santa Casa de Misericórdia de Arouca.

"O dia começava bem cedo. Nas aldeias do Concelho de Arouca, o linho tornou-se um dos grandes ícones da região, onde as mulheres e homens tratavam-no de sol a sol, e nunca se cansavam.

As vozes, essas faziam-se ouvir a entoar nas encostas da serra, alegres e pantomineiras eram as das raparigas, interpretando um dos mais belos tesouros desta província “os cramóis”, ou seja, o canto a três vozes.

Já dizia o grande etnógrafo português, Pedro Homem de Mello, aquando de um artigo sobre o Douro Litoral referindo-se propriamente à região de Arouca, que as pessoas da serra ensinaram aos vareiros as cantas, no entanto os vareiros ensinaram aos serranos o vira.

Segundo este historiador, as danças mais características da região eram o Malhão, a Rabela, o Corre-Corre, o Senhor da Pedra, e o vira, que os da serra apelidaram de Vira Valseado.
O trabalho campesino começava bem cedo e muitas das vezes acabava bem tarde devido à grande alegria que o povo de outrora tinha".
 
A Santa Casa da Misericórdia de Arouca convida a recuar uns largos anos e ver então as grandes noites de serão de uma aldeia Arouquense, no dia 25 de Março de 2012 à partir das 14:30 no Centro de Dia Eng.º Afonso Brandão de Vasconcelos em Urrô.

Com a colaboração do Grupo Etnográfico de Danças e Cantares de Fermedo e Mato, Rancho Folclórico da Casa do Povo de Arouca, e em especial o folclorista Fernando Brito, componente da Casa do Povo e seu trabalho de estágio universitário.

R.F. As Lavradeiras de Canelas

(AROUCA) - O Rancho Folclórico " As Lavradeiras de Canelas", foi fundado no ano de 1985, tendo, como principal finalidade, fazer renascer o tradicional folclore iniciado naquela freguesia para participar na Feira das Colheitas na década de 40 e 50. 

Oriundo de uma freguesia com várias tradições, situada na margem esquerda do Rio Paiva, com as suas famosas casas de pedra e os seus telhados de xisto, este rancho organiza anualmente um Festival de Folclore num dos mais emblemáticos locais da freguesia, entre canastros, palheiros e uma grande eira, o seu folclore tem outro significado. Desta forma, procuram ser fiéis às tradições dos seus antepassados que cantavam e dançavam ao ritmo das colheitas e amores perdidos.

Para além do folclore, esta associação, é detentora de um vasto e admirável património etnográfico que se encontra exposto nos antigos palheiros do lugar das Eiras. A Algum tempo, tem uma escola de concertinas e violas, com o intuito de contribuir ao Rancho Folclórico. O mesmo, constitui um complemento extremamente importante para a preservação de um conjunto de objectos que fizeram parte do quotidiano de gerações passadas, e que ameaçam perder-se a cada dia que passa.
  
A Sede da Associação é neste momento uma obra de grande importância para a Freguesia, pois nela se realizam muitas actividades, como, festa de Carnaval, Festival de Folclore, teatros, torneios de sueca, convívios com o Rancho, desfolhada à moda antiga, Ceia de Natal, além de todas as semanas existirem as escolas de música, aulas de aerobica e ginástica para idosos, esta última duas vezes por semana e aos sábados ensaios do Rancho. 

Além destas actividades na sede da Associação ainda se organizam ensaios de teatros, reuniões da Direcção e Assembleia, apoio na Semana Cultural realizada pela Junta de Freguesia, apoio a outras Associações que tem realizado algumas das suas actividades (Associação de Pais, Associação do Centro Social, etc.)

O grupo possui duas gravações discográficas  que contém parte do seu repertório

E para complementarmos o nosso trabalho acerca deste grupo, colocamos em nosso álbum duas músicas características deste grupo, a "Trigueirinha" e a "Rusga", esta executada por este magnífico grupo no vídeo abaixo.

Lavradeiras de Canelas no Facebook